Entrar/Registar

Login

Esqueceu a password?

Crie Conta Aqui

Registar

#atualidade – Quando é aceitável estacionar em segunda fila?

 

Hoje ocorreu-me debitar uma palavrinha sobre as ocasiões em que o estacionamento em segunda fila é absolutamente incontornável, justificável ou aceitável. E essa palavrinha é: nunca. Nada justifica ou desculpa o comportamento obsceno para com os outros de estacionar em segunda fila. Estou a falar de estacionamento, não de descargas ou serviços de emergência.

Nenhuma necessidade, nenhum prazo ou instante torna desculpável ao condutor de um veículo o acto (ou a mera possibilidade) de privar os outros da liberdade de usarem os seus carros sem terem que andar a procura do burgesso que os bloqueou.

Fazer uma mãe com uma cadeira de bebé numa mão e um miúdo pequeno na outra, mais uns sacos e malas de escola, andar a tocar às campainhas dos prédios à procura de quem lhe bloqueou o carro é indesculpável. Estacionar em segunda fila e bloquear o carro de quem, bem estacionado e com bilhete de parquímetro, tinha só ido buscar as malas e seguia para o aeroporto, sendo obrigado a chamar a polícia e o reboque e, na demora destes, resignar-se a chamar um táxi sabendo que quando voltar terá o carro retido na EMEL por ter excedido em vários dias o tempo que tinha pago (pensando que isso lhe conferia o direito a não ser abusado por um grunho de segunda fila), não tem punição aceitável. É um crime capital, ou se não é devia ser. “Foram só cinco minutos” seria a frase que agravava a pena para o dobro.

E já que falamos em punições, acho que vergastadas ou incineração do carro do infractor não seriam suficientes. A pena para um comportamento desse tipo deveria envolver o  enforcamento público do energúmeno em causa, o extermínio da respectiva família três gerações para trás e para a frente, a demolição e queima das suas habitações e a organização de festividades em cima das cinzas das suas casas.

Bom, esta última das festividades talvez seja um exagero da minha parte, mas nestes momentos a raiva cega-nos e somos capazes de dizer umas asneiras. Asneiras, palavrões e insultos perfeitamente justificáveis para nomear a besta que abandonou o carro a frente do meu para ir tomar o pequeno-almoço e que não esteve para se incomodar, como eu me incomodei, em procurar um estacionamento que não causasse prejuízo a outro. E que, alertado pelas minhas buzinadelas que já acordaram o resto do bairro, vem agora todo lampeiro ficar com o lugar que eu vou vagar. Ou, pior ainda, limita-se a voltar a estacionar na exacta posição onde estava, continuando o bloqueio a outros e negando o acesso a um lugar de estacionamento agora disponível. É o empata, demasiado preguiçoso e burro para se portar com um mínimo de decência. E lá volta ele para o café, deixando novamente o veículo em segunda fila.

Na impossibilidade de organizar uma milícia vigilante que destrua imediatamente carros mal estacionados, que era o meu desejo, espero sinceramente que o pequeno-almoço lhe dê uma monumental caganeira.

Álvaro Rodrigues

#thecaradviser

 

About the Author

Sou consultor automóvel e piloto de testes para muitos dos Ensaios TCA. Pelas minhas mãos já passaram muitas máquinas, por isso contacte-me. Estou cá para partilhar a minha experiência e confiança consigo.